quarta-feira, 20 de outubro de 2010

COLUNA CENSURADA PELA OPOSIÇÃO AO GOVERNO MUNICIPAL

Amigos e amigas leitores,

Esta semana não será publicada minha coluna semanal no Butiá Notícias
devido a utilização do espaço pela oposição ao Governo Municipal como
direito de resposta a coluna escrita abaixo e publicada na última
edição do jornal em 15 de outubro.

Pela forma que estão agindo ultimamente, parecem estar com medo de 2012.
Será que estamos tão fortes assim?

Abraço,

Everton Pereira




BUTIÁ, O RIO GRANDE E O BRASIL

Publicado no Butiá Notícias Edição 621 de 15 e 16 de outubro de 2010.

Nunca em sua história, Butiá teve uma perspectiva tão positiva de desenvolvimento social e econômico como esta que se desenha com os resultados das eleições que ainda estão em curso. O PT, partido que governa a cidade, obteve não só as melhores votações de seus deputados estaduais e federais, como foi o partido com o maior número de candidatos com votos. Maria do Rosário foi a deputada federal campeã de votos. Paim o senador. Aldacir Oliboni, Raul Pont e Stela Farias estão entre os quatro deputados estaduais mais votados em nosso município. Isso sem falar nas votações expressivas de Henrique Fontana, Marco Maia e Pepe Vargas, todos reeleitos deputados federais. O significado do vínculo de Butiá com esta ampla gama de forças políticas representadas por estes mandatos, aliado a conquista do Piratini pelo PT é o fortalecimento político e administrativo do Governo Paulo Machado.

A ligação direta da cidade com diversas lideranças políticas tanto estaduais como nacionais, faz crescer em muito as possibilidades de ampliação – que, diga-se de passagem, já são grandes - da destinação de recursos para o município. Unindo as forças políticas já citadas do PT com as do PDT, PPS e futuramente, com toda a certeza, com as dos companheiros socialistas do PSB, criar-se-á uma base de sustentação praticamente imbatível que poderá dar a reeleição facilmente ao prefeito Paulo Machado e ao projeto iniciado em 2005 com o saudoso Sérgio Malta. A parca votação dos candidatos apoiados na cidade pelas principais lideranças do PP e a votação expressiva, mas incapaz de eleger um prefeito, feita pelo PTB, mostra a fragilidade da oposição que apesar de ser maioria numérica na Câmara de Vereadores, mostra-se inferior nos quesitos qualidade, propostas e força política.

Desde 2005, Butiá vem assistindo ao melhor governo de sua história, se comparado aos anteriores. Foram retomadas as pavimentações. Os servidores públicos municipais nunca foram tão bem tratados. A assistência social deixou de ser meramente paternalista e passou a garantir cidadania a população de baixa renda e a agricultura familiar jamais obteve tantos investimentos e atenção. Mas muito ainda deve ser feito, principalmente nas áreas de saúde e geração de empregos, embora também nestas todos os índices são melhores que os dos governos passados. E para Butiá continuar avançando, o Brasil também deve seguir crescendo. O elo que une governo municipal, governo estadual e governo federal, deve ser selado como nunca antes aconteceu. E é na vitória de Dilma Roussef no segundo turno que reside a certeza de que isso acontecerá. Dilma já provou ter uma atenção especial com nossa região quando como Secretária Estadual de Minas e Energia do Governo Olívio liberou as obras da Jacuí I. Provou não ser contra o carvão - como quis fazer crer a oposição raivosa e mentirosa – quando como Ministra de Minas e Energia de Lula ampliou o percentual deste mineral na matriz energética nacional e depois na Casa Civil investiu pesado através do PAC na CGTEE de Candiota. Nada menos que nosso futuro está em nossas mãos! Butiá pode deixar de ser coadjuvante para se tornar protagonista no desenvolvimento de nossa região. Para isso já temos muito do que precisamos, carecemos agora da inteligência necessária para fechar este elo e seguir avançando com o Brasil e o Rio Grande.

Nenhum comentário:

Postar um comentário